Brasil ocupa o 4º lugar no mundo em ocorrências de acidentes de trabalho

Notícias

Brasil ocupa o 4º lugar no mundo em ocorrências de acidentes de trabalho

08 de março, 2018

Segurança é um dos primeiros passos para alcançar a mais alta performance dentro de uma empresa. É um item importante tanto para o empresário quanto para a melhor qualidade de vida do colaborador. Com uma média de 700 mil registros de acidentes de trabalho por ano, o Brasil ocupa, atualmente, o 4º lugar no mundo em ocorrência de acidentes de trabalho, atrás somente de China, Índia e Indonésia. Os dados são do último Anuário Estatístico da Previdência Social, publicado em 2015, o qual apontou 612,6 mil acidentes, dentre os quais 2.500 foram ocorrências de morte. A área de serviços aparece com 55,69% e a indústria com 41,09%.

No combate a esses números, a paranaense Kaitech Solutions, empresa que desenvolve projetos, cursos e treinamentos a partir do Sistema Toyota de Produção, para promover a melhor performance das empresas e ajudá-las a alcançar eficiência nos indicadores SQDCM (Segurança, Qualidade, Entrega, Custo e Gerenciamento), atende as especificações solicitadas pelos clientes assim como as normas regulamentadoras nacionais, sendo um dos itens prioritários, a NR-12, que rege sobre a segurança no trabalho em máquinas e equipamentos.

Paralelamente, a essa norma a empresa também cumpre a NR-17, que regulamenta a ergonomia, a qual garante ao colaborador/operador mais conforto, segurança e desempenho eficiente.

Um dos equipamentos desenvolvidos pela Kaitech, por exemplo, é o elevador para descarte de caixas vazias. “As caixas que ficavam no chão passaram a ficar em cima de um elevador na altura da cintura, não precisando mais o operador se abaixar para pegar o material. Ao cumprir o item de segurança também melhoramos a ergonomia”, explica o engenheiro industrial e um dos sócios da empresa Eduardo Yoshida.
Outro exemplo é o elevador de carga com mesa giratória criado para facilitar o alcance. “Neste caso, o operador não precisa ficar se esticando para pegar o material necessário”, comenta Yoshida.

Além das normas de segurança e ergonomia, o que vem ao encontro da atuação da Kaitech são as a automações de baixo custo, com menos dispositivo, mas que garantem a maior segurança. “Ao invés de usarmos cilindros hidráulicos e pneumáticos, que exigem automação mais cara, mais completa, utilizamos elementos básicos de mecânica como plano inclinado, contrapeso associados a gravidade como, por exemplo, travas mecânicas e molas”, ressalta o engenheiro.

De acordo com o engenheiro Yoshida, um outro projeto já desenvolvido pela empresa conseguiu reduzir 34 acionamentos (17 atuadores) para apenas dois cilindros pneumáticos. “Geralmente, umas das primeiras exigências do cliente é o custo, mas conhecendo todas a estratégia do SQDCM, ele consegue perceber, que colocando a segurança do colaborador em primeiro lugar, em algum momento o custo naturalmente mostrará o seu retorno”, ressalta Yoshida.

 

 

 

Comente pelo Facebook

Proluv
Top